Casa Acessibilidade Tipos de Muletas: Veja Como Escolher o Melhor Modelo!

Tipos de Muletas: Veja Como Escolher o Melhor Modelo!

tipos de muletas veja como escolher melhor modelo

Escolher a muleta certa é tão importante quanto escolher um parceiro de vida. Bem, talvez não seja para tanto, mas é fundamental acertar na escolha pelo tipo de muleta mais adequado para você

O ajuste perfeito beneficiará imensamente os cotovelos e as axilas, pois suportam a maior parte do trabalho pesado durante o processo de caminhada. 

Existem dois tipos de muletas que ajudam na mobilidade. Os fatores que devem afetar sua decisão são postura, conforto, força da parte superior do corpo e a quantidade de caminhadas e terrenos em que você caminhará. 

As muletas são classificadas em axilares e de antebraço (ou muletas canadenses). A primeira é a muleta axiliar, mais conhecida como muleta nas axilas, que faz o que o último nome sugere já que o suporte principal é oferecido nas axilas. 

Esta muleta é usada principalmente para aqueles que têm lesões menores e só precisarão utilizar o acessório por um curto período de tempo, até a recuperação. 

Portanto, se você tiver uma lesão no tornozelo ou no joelho, esse seria o tipo de muleta ideal para você. 

O outro tipo de muleta é chamado de muleta de antebraço ou canadenses. Este é usado mais em lesões ou doenças que exigem um maior prazo de recuperação.   

Continue o nosso artigo e saiba mais sobre cada uma e veja como encontrar as muletas certas para você!

O que são e para que servem as muletas?

tipos de muletas o que sao para que servem

Muletas são um tipo de auxílio para os pés, que servem para aumentar o tamanho de uma base de apoio individual. 

Ele transfere o peso das pernas para a parte superior do corpo e é frequentemente usado por pessoas que não podem usar as pernas para suportar o peso (por exemplo, lesões de curta duração em deficiências ao longo da vida).

As muletas são projetadas para ajudar a manter o peso do pé ou perna lesionados e a manter a mobilidade enquanto você se recupera.

Para usar corretamente as muletas, você precisa garantir que está mantendo todo o peso fora da perna machucada.

Muletas diferentes podem ser usadas para ajudar com diferentes tipos de lesões. As muletas tradicionais e as muletas de antebraço funcionam para indivíduos com boa força na parte superior do corpo. São usadas, geralmente, para lesões nas pernas que variam do quadril ao pé. 

Outras muletas, como scooters e muletas de joelho, são ideais para pessoas que sofrem lesões abaixo do joelho.

Quando usar muletas?

As muletas podem ser usadas para ajudar a suportar o seu peso à medida que você se recupera de uma variedade de lesões de recuperação rápida e condições de longo prazo. Você pode usar muletas ao se recuperar de:

  • Tornozelo quebrado;
  • Pé quebrado;
  • Tornozelo torcido;
  • Fratura por estresse;
  • Lesão ou ruptura do LCA;
  • Lesão no tendão de Aquiles;
  • Deformação muscular;
  • Ferimento no joelho;
  • Luxação do quadril;
  • Outras lesões na perna.

Quais são os tipos de muletas?

Existem dois tipos de muletas classificadas em axilares e de antebraço (ou muletas canadenses). 

Muletas axilares são geralmente baratas e propiciam andar sem apoio nos membros inferiores, porém são geralmente incômodas e difíceis de usar. O apoio incorreto destas muletas na axila pode causar compressões nervosas ou de vasos.

Muletas axilares

tipos de muletas axilares

As muletas para as axilas são adequadas para lesões temporárias, deficiências como entorse de tornozelo e lesões no joelho ou recuperação de um procedimento cirúrgico. 

Antigamente, as muletas axilares eram equipadas somente com almofadas para garantir um pouco de conforto. Hoje, elas podem possuir tecnologias para diminuir o impacto durante o uso, além dos tecidos e borrachas absorventes, que evitam desconforto e acidentes.

É necessário pouco treinamento para usar essas muletas e elas são baratas. Duas funcionalidades simples são os ajustes de altura e os ajustes de altura das garras. 

O tamanho e o ajuste, corretos, são muito importantes, pois a escolha errada pode afetar os músculos e os nervos sob o braço.

Coisas a lembrar ao usar esse tipo de muleta:

  • Por questões de segurança, as muletas devem ser medidas corretamente para evitar quedas e lesões;
  • Deve haver uma distância de 2-3 dedos entre a almofada da muleta e a axila (cerca de 5 cm);
  • O cotovelo deve ser flexionado em um ângulo de 30 graus e estar em pé de igualdade com a parte superior da pelve quando alguém segura o punho;
  • O peso corporal deve ser suportado pelas alças das mãos e não pelas axilas, para evitar danos aos nervos;
  • As pontas da muleta devem repousar aproximadamente 5 cm para a frente e 15 cm fora dos pés para fornecer o equilíbrio adequado.

Confira nossa muleta axilar e garanta as melhores condições!

Muletas de antebraço (ou canadenses)

tipos de muletas de antebraco ou canadenses

As muletas do antebraço têm um manguito aberto que segura o antebraço do usuário. 

Também conhecidas como muleta de cotovelo ou muletas canadenses, são usadas por amputados e pessoas com deficiências permanentes ou condições adquiridas ao longo da vida devido à poliomielite ou esclerose múltipla. 

Essas muletas são mais fáceis de usar, pois oferecem maior liberdade de movimento e as pessoas podem optar por navegar por terrenos acidentados ou subir e descer escadas.

Confira a melhor muleta canadense na Mobiloc!

Como escolher o melhor tipo de muleta para você?

Antes de alugar ou comprar as suas muletas, você deverá saber identificar qual tipo de lesão você teve e qual o tempo de uso recomendado pelo seu médico.

Se a sua lesão for temporária e o uso for esporádico (como se locomover até o banheiro e etc), o ideal é que você utilize a muleta axilar, já que ela oferece mais estabilidade e evita acidentes, mesmo quando o paciente não teve um treinamento prévio.

No entanto, se a sua lesão for permanente ou se o uso for constante (você precisar continuar a sua rotina, mesmo com a lesão), o ideal é que você dê preferência para as muletas de antebraço.

Muletas montadas incorretamente ou má postura ao utilizá-las podem causar um distúrbio chamado paralisia da muleta, no qual os nervos sob o braço são temporariamente ou permanentemente danificados, causando enfraquecimento dos músculos das mãos, pulsos e antebraços. 

Medições corretas podem minimizar as complicações e promover o uso seguro das muletas. Para garantir medições corretas, é mais fácil se você tiver ajuda.

Passo a passo para ajustar as muletas axilares ao seu tamanho

tipos de muletas antebraco passo a passo escolher tamanho

  1. Coloque os sapatos de caminhada regulares da pessoa e ajude-os a ficar em pé;
  2. Coloque a almofada superior da axila aproximadamente 5 cm (2 a 3 dedos) sob a axila e estenda a muleta até um ponto no chão a aproximadamente 15 cm da lateral do pé;
  3. Nesta posição, o punho deve ser ajustado para ficar aproximadamente à altura da dobra do pulso. Isso deve permitir cerca de 15 a 30 graus de flexão no cotovelo;
  4. Verifique o ajuste final das muletas. A parte superior de cada muleta deve ter cerca de dois dedos da axila e os pulsos devem estar nivelados com as pegas quando os braços do usuário estão pendurados ao seu lado.

Passo a passo para ajustar as muletas de antebraço ao seu tamanho

Para muletas no antebraço ou no cotovelo, meça a altura da alça como nas muletas nas axilas. Para definir a altura do manguito do antebraço, meça de um punho fechado a 2,5 cm abaixo da dobra do cotovelo. 

O manguito do antebraço não deve impedir o movimento do cotovelo, mas deve impedir que a muleta escorregue do braço.

Medição e configuração da muleta no antebraço:

  1. Coloque os sapatos de caminhada regulares da pessoa e ajude-os a ficar em pé;
  2. Instrua-os a flexionar o cotovelo para que a dobra do pulso fique nivelada com a articulação do quadril;
  3. Meça o antebraço a 5 cm abaixo do cotovelo e depois adicione a distância entre o pulso e o chão;
  4. Meça em torno da maior parte do antebraço para o tamanho do manguito;
  5. Selecione um par de muletas com base nas medidas da pessoa. Ajuste o comprimento das muletas para cima ou para baixo para corresponder às medidas.

Qual a diferença entre andador, bengala e muleta?

A diferença entre o andador, a bengala e a muleta, está na sua finalidade de uso. Mesmo sendo projetados para oferecer mais sustentabilidade e mobilidade, as condições de uso mudam muito.

O andador é uma estrutura de ferro, com quatro apoios de sustentação, que oferecem mais equilíbrio para quem usa. É muito comum o uso de andadores por idosos, pessoas com problemas nos quadris ou que estão em processo de reabilitação da caminhada.

O andador pode ser encontrado na versão mais básica, apenas com pés de apoio, ou com rodas, que podem ser apenas frontais ou nos quatro apoios.

Compre os melhores andadores para idosos! 

A bengala é um equipamento potencializador de marcha, para pessoas que apresentam desequilíbrios ou fraqueza no caminhar.

Ela pode ser fabricada em madeira ou metal, o que deixa a bengala sendo o apoio mais versátil entre os existentes. Você também pode encontrar versões mais modernas, que funcionam como verdadeiros acessórios de moda!

Você poderá encontrar as bengalas de um único apoio (mais comuns) ou as bengalas de quatro apoios, mais recomendada para idosos em idade avançada.

Confira nossos modelos de andadores e bengalas!

tipos de muletas bengalas

Por fim, as muletas são equipamentos auxiliares de marcha, o que significa que elas têm a função exclusiva de auxiliar no equilíbrio e caminhada quando uma das pernas está lesionada.

É um auxiliar que requer bastante esforço do paciente, por isso devem ser adquiridos no tamanho exato, para evitar lesões e problemas que possam surgir.

É possível encontrar muletas de modelos mais básicos, apenas para o uso diário e temporário, mas também é possível encontrar muletas adaptadas para esportes e longas caminhadas, com sistema de amortecimento e segurança.

Conte com a Mobiloc para encontrar as muletas ideais para você!

Como funciona a adaptação com as muletas?

O processo de adaptação ao uso das muletas vai depender de cada paciente e de como as muletas são introduzidas.

Nos casos de acidentes mais leves, como torções, que o uso da muleta será por um período curto (até duas semanas), dificilmente há um treinamento.

Já nos casos em que o uso é mais prolongado, como quebra de ossos e amputações, um fisioterapeuta te dará as orientações necessárias para andar com muletas, sem correr o risco de se acidentar ou machucar ainda mais a sua perna.

Independentemente de qual for o seu caso, algumas dicas podem facilitar o processo de adaptação e tornar o dia-a-dia com as muletas muito mais fáceis.

Quais os riscos no uso das muletas?

tipos de muletas quais os riscos

Assim como todo equipamento, as muletas também apresentam alguns riscos em seu uso. São eles:

  • Irritação da pele nos locais de apoio das muletas;
  • Dor nos braços e ombros quando o uso está incorreto;
  • Contusões por apoio de peso feito de forma errada;
  • Danos no sistema nervoso do plexo braquial e paralisia;
  • Lesões por quedas;
  • Atrofia dos membros inferiores;
  • Problemas arteriais.

Dicas para usar as muletas corretamente

Ao usar muletas, o peso deve ser suportado pelas mãos através das almofadas. Para muletas nas axilas, a almofada superior da muleta deve ser pressionada contra o lado da parede torácica (aproximadamente 5 cm sob a axila). 

É importante que as muletas não sejam posicionadas altas contra a axila, pois isso pode causar danos aos nervos e vasos sanguíneos localizados próximos à pele e também pode afetar a postura, o equilíbrio e a estabilidade. 

As muletas devem ser posicionadas levemente para o lado e para a frente do corpo para obter uma base estável de apoio.

Existem muitas maneiras diferentes de usar muletas, dependendo do equilíbrio e da capacidade de colocar peso em uma ou ambas as pernas.

Se a perna afetada puder suportar algum peso corporal, recomenda-se que as muletas e a perna afetada sejam colocadas para a frente juntas com aproximadamente um comprimento de passo (compartilhando a carga entre elas) seguido pela perna não afetada. 

tipos de muletas dicas para usar corretamente

Padrão de caminhada de quatro pontos: outra opção é usar um padrão de caminhada de quatro pontos, que é mais lento, mas pode ajudar na segurança de fraquezas gerais.

Isso envolve colocar uma muleta para frente, depois a perna oposta e a próxima muleta para frente, seguida pela perna final e continuar com esse padrão.

Sem sustentação de peso: se o equilíbrio for baixo e não for possível suportar peso na perna afetada, sugere-se que as duas muletas sejam adiantadas primeiro, seguidas de um salto à frente da perna não afetada, parando logo atrás das muletas. 

Se o equilíbrio for bom, o salto poderá ultrapassar o nível das muletas, o que aumentará a velocidade e a fluência.

Subir escadas: para subir escadas e degraus, levante a perna não afetada até o primeiro passo, tendo peso sobre as muletas, e em seguida, trazer as muletas e a perna afetada para a segunda etapa. 

Para descer, abaixe a perna afetada e as muletas descendo o degrau primeiro, seguido pela perna não afetada.

Conclusão

Se você recebeu a recomendação para o uso de muletas, o ideal é que tenha cuidado na escolha e, de preferência, tenha o auxílio de um profissional para definir o melhor tipo para você.

O uso incorreto das muletas poderá acarretar em diversos problemas de saúde, que serão adicionados ao seu caso clínico. 

O ideal é que você tenha ajuda de especialistas, desde definição do tipo e compra da sua muleta, até a adaptação e uso, para que nada saia errado.

Conte com a Mobiloc e tenha o melhor suporte nas suas compras de equipamentos de saúde e reabilitação!

Confira nossos outros artigos sobre mobilidade e acessibilidade:

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =