Sono excessivo: causas e dicas para acabar com o cansaço

Você luta para ficar acordado durante o trabalho e outras atividades e não sabe por quê? Sofre com sono excessivo e cansaço?

Sentir-se exausto é tão comum que pode ser considerado normal para algumas pessoas.

Todos nos sentimos cansados ​​de tempos em tempos. Os motivos são geralmente óbvios e incluem:

  • Dormir tarde todos os dias;
  • Trabalhar durante muitas horas;
  • Ficar acordado à noite;
  • Ter um sono interrompido por algo ou alguém;
  • Dormir poucas horas.

Mas o cansaço ou exaustão que se prolonga por muito tempo não é normal. 

Isso pode afetar sua capacidade de cognitiva e afetar a sua produção, além de atrapalhar os momentos em que você pode aproveitar sua vida.

Às vezes, a causa da sonolência não é fácil de descobrir. Reunimos informações que podem direcioná-lo na caminho certo e ajudá-lo a encontrar o tratamento que funciona melhor para você.

O que é o sono excessivo?

sono excessivo o que e o

Se você estiver com sono demais, você e seu médico devem investigar mais profundamente. 

As causas comuns são maus hábitos de sono, como redução da oportunidade para dormir ou horário irregular, um distúrbio do sono, como apneia obstrutiva do sono, efeitos colaterais de certos medicamentos e outras condições médicas subjacentes. 

Depois que você e seu médico determinarem a causa da sonolência excessiva, vocês poderão criar um plano de tratamento juntos.

Para a maioria das pessoas, isso envolve mudar os hábitos do sono e melhorar comportamentos e elementos do ambiente do sono. 

Para outros, outros exames médicos ou estudos do sono podem ser indicados.

Cerca de 20% dos adultos têm sonolência grave o suficiente para afetar suas atividades regulares.

Se você está frequentemente cansado, trabalha menos produtivamente, comete erros, tem lapsos de julgamento ou vigília, ou se sente incapaz de aproveitar ou participar plenamente das atividades da vida, consulte seu médico ou especialista do sono.

Se você estiver excessivamente cansado por um longo tempo, pode parecer normal para você, mas o sono ruim e a sonolência excessiva resultante podem ter efeitos drásticos a longo prazo em sua saúde.

Por exemplo, o sono reduzido está relacionado a problemas cardiovasculares e ganho de peso, e também como você pensa e sente (capacidade cognitiva). 

Não só isso, quando você passa o dia cansado demais, coloca você e outras pessoas em risco, já que acidentes de veículos a motor e outros erros perigosos geralmente são causados ​​por sonolência. 

Se você sentir sintomas de sonolência excessiva, converse com seu médico para que vocês possam analisar melhor seus hábitos de sono e tomar medidas para melhorar sua saúde.

Sonolência excessiva diurna

Sonolência diurna excessiva é um dos sintomas mais comuns dos pacientes relacionados ao sono e afeta cerca de 65% da população brasileira. 

Pessoas com sonolência diurna excessiva correm o risco de incidentes com veículos motorizados e relacionados ao trabalho e têm problemas de saúde em comparação com adultos comparáveis. 

As causas mais comuns de sonolência diurna excessiva são privação do sono, apneia obstrutiva do sono e medicamentos sedativos. 

Outras causas potenciais de sonolência diurna excessiva incluem certas condições médicas, psiquiátricas e distúrbios do sono, como a narcolepsia. 

A apneia obstrutiva do sono é uma causa particularmente significativa de sonolência diurna excessiva. 

Estima-se que 26 a 32% dos adultos estejam em risco ou tenham apneia obstrutiva do sono, e esta condição tende a aumentar.

Doenças que causam o sono excessivo e cansaço

sono excessivo quais doencas que causam

Diabetes

A incidência de diabetes tipo 2 está aumentando em crianças e adultos no Brasil. Segundo dados do IBGE, cerca de 6% da população já foi diagnosticada com a doença.

O tratamento para diabetes tipo 2 pode incluir:

  • Perder excesso de peso;
  • Aumento da atividade física;
  • Manter rigoroso controle da glicemia;
  • Tomar medicamentos para diabetes (insulina ou outros medicamentos);
  • Comer uma dieta com baixo índice glicêmico de carboidratos ou, embora controversa, uma dieta com pouco carboidrato.

Outras medidas de estilo de vida são importantes para se manter bem com o diabetes tipo 2. Eles incluem a cessação do tabagismo, controle da pressão arterial e redução do colesterol.

Anemia

A anemia é a condição sanguínea mais comum no Brasil e no mundo. Cerca de 30% da população mundial é afetada por anemia e, aqui no Brasil, chega a afetar mais de 50 mil pessoas.

Para as mulheres em idade fértil, a anemia é uma causa comum de sono excessivo. Principalmente nas mulheres que têm ciclos menstruais mais intensos, tumores uterinos de fibroides ou pólipos uterinos.

Anemia é uma condição na qual você não tem glóbulos vermelhos suficientes no seu organismo. Pode ser devido à perda de sangue ou diminuição da produção de glóbulos vermelhos. 

Também pode ser o resultado de hemorroidas ou problemas gastrointestinais, como úlceras ou câncer. 

Os anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno ou a aspirina, também podem levar a problemas gastrointestinais e sangramento. 

Outras causas de anemia incluem uma deficiência de ferro, ácido fólico ou vitamina B12. 

Doenças crônicas como diabetes ou doença renal também podem causar anemia.

Para confirmar o diagnóstico de anemia, seu médico fará um exame de sangue. Se a deficiência de ferro é a causa de sua fadiga, o tratamento pode incluir suplementos de ferro. 

Alimentos ricos em ferro, como espinafre, brócolis e carne vermelha, também podem ser adicionados à sua dieta para ajudar a aliviar os sintomas. 

A vitamina C nas refeições ou com suplementos de ferro pode ajudar a absorver melhor o ferro e melhorar seus sintomas.

Apneia do sono

Segundo a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), cerca de 76% dos brasileiros sofrem com algum tipo de distúrbio do sono. 

Se o ronco estiver associado a períodos em que a respiração pára, uma condição chamada apneia do sono, uma pessoa pode ter sonolência diurna e fadiga excessiva.

A apneia obstrutiva do sono resulta em baixos níveis de oxigênio no sangue. Isso ocorre porque os bloqueios impedem que o ar chegue aos pulmões. 

Os baixos níveis de oxigênio também afetam as funções do coração e do cérebro. Às vezes, a única pista de que você pode ter apneia do sono, é a fadiga crônica.

Converse com seu médico sobre um estudo do sono (polissonografia) para determinar se você tem apneia do sono. 

Perca peso se estiver acima do peso e, se você fuma, pare. Tanto a obesidade quanto o tabagismo são fatores de risco para apneia do sono. Dormir de lado e não de costas pode ajudar a eliminar a apneia do sono leve.

O seu médico pode prescrever um dispositivo médico chamado CPAP que ajuda a manter as vias aéreas abertas enquanto você dorme.

Narcolepsia

sono excessivo e narcolepsia

Esse distúrbio do sono causa sonolência diurna excessiva, independentemente de quanto você descansar. 

Muitas vezes, é apresentado em adultos jovens no ensino médio ou superior.

O diagnóstico pode ser tardio, pois os alunos presumem que os cochilos podem ser devido à combinação de classes, atividades extracurriculares e empregos.

A narcolepsia pode se apresentar de maneira diferente:

  • Tipo 1;
  • Tipo 2;
  • Hipersonia idiopática.

O tipo 1 é uma condição em que o sistema imunológico do corpo ataca células que produzem hipocretina, uma substância química do cérebro que regula o sono e a vigília. 

Sem ele, você tem ciclos irregulares de sono e pode adormecer rapidamente sem aviso prévio.

Uma característica única desse tipo de narcolepsia é a cataplexia, que é o início repentino de fraqueza muscular em resposta a emoções fortes, como o riso.

Os pacientes do tipo 1 e do tipo 2 experimentam fragmentos de sonhos que vêm à consciência durante a transição da vigília para o sono e vice-versa.

Alguém pode pensar que vê uma aranha na parede ou uma pessoa na sala. Isso dura de um a dois minutos. 

Semelhante à cataplexia, algumas pessoas têm paralisia do sono ao mesmo tempo e não conseguem se mexer.

Já os pacientes com hipersonia idiopática se sentem cansados ​​o tempo todo e dormem por mais tempo do que o habitual. 

Eles podem dormir bem 10 horas todas as noites, mas ainda se sentem grogue durante a maior parte do dia. 

Eles podem adormecer rapidamente, mas, ao contrário do tipo 1, não apresentam outras perturbações no ciclo do sono.

Depressão

Depressão ou a ansiedade também podem ser a causa do sono excessivo. A depressão afeta duas vezes mais mulheres que homens e pode ser familiar. Geralmente começa entre as idades de 15 e 30.

As mulheres podem ter depressão pós-parto após o nascimento de um bebê. Algumas pessoas sofrem de transtorno afetivo sazonal no inverno, com sentimentos de fadiga, sono e tristeza.

A depressão também pode ser um sintoma de transtorno bipolar.

Com a depressão, você pode estar de mau-humor a maior parte do dia. Você pode ter pouco interesse em atividades normais. 

Juntamente com os sentimentos de sono excessivo e fadiga, você pode comer muito ou pouco, dormir demais ou dormir pouco, sentir-se sem esperança e sem valor e ter outros sintomas graves.

Os sintomas de ansiedade podem incluir:

  • Agitação;
  • Dificuldade em dormir;
  • Preocupação excessiva;
  • Sentindo-se “em alerta” na maioria das vezes;
  • Sensação de desgraça iminente;
  • Nervosismo.

Se você está deprimido ou tem sintomas regulares de ansiedade, converse com seu médico e faça um exame físico. 

Se não houver causa física para a depressão ou ansiedade, seu médico poderá prescrever medicamentos ou encaminhá-lo a um psiquiatra ou psicólogo para uma avaliação psicológica.

Rinite

sono excessivo e rinite

A rinite alérgica é uma causa comum de fadiga crônica e sono excessivo, mas muitas vezes pode ser facilmente tratada e autogerenciada. 

Para fazer um diagnóstico, seu médico avaliará seus sintomas. 

O médico também determinará, através de uma história detalhada ou testes, se suas alergias são desencadeadas por pólen, insetos (ácaros ou baratas), pelos de animais, bolor, mudanças climáticas ou qualquer outra coisa.

Uma maneira de reduzir os sintomas da rinite alérgica – incluindo a fadiga e o sono em excesso – é tomar medidas para evitar o alérgeno agressor.

Fibromialgia

A fibromialgia é uma das causas mais comuns de fadiga crônica, sono excessivo e dor musculoesquelética, especialmente em mulheres

A fibromialgia e a síndrome da fadiga crônica são consideradas distúrbios separados, mas relacionados. 

Eles compartilham um sintoma comum – fadiga severa que provoca muito sono e cansaço, o que interfere bastante na vida das pessoas.

Com a fibromialgia, você pode sentir que, não importa quanto tempo durma, nunca é tranquilo. 

E você pode sentir como se estivesse sempre cansado durante o dia. Seu sono pode ser interrompido por acordar frequentemente. 

No entanto, você pode não se lembrar de nenhuma interrupção do sono no dia seguinte. 

Algumas pessoas com fibromialgia vivem em um constante “nevoeiro fibro” – um sentimento mental nebuloso que dificulta a concentração.

Fadiga constante durante o dia com fibromialgia geralmente resulta em diminuição do exercício. Isso causa um declínio na aptidão física. Também pode causar problemas relacionados ao humor.

A melhor maneira de compensar esses efeitos são tentar exercitar mais. O exercício tem um tremendo efeito benéfico no sono, humor e fadiga.

Se você tentar nadar (ou qualquer exercício moderado) para aliviar a fadiga, comece devagar. Ao se acostumar com a atividade física adicional, você pode aumentar seu tempo na piscina ou na academia.

Defina um horário regular para o exercício, mas observe o exagero para evitar fadiga adicional.

Doenças cardíacas

Se você se sentir exausto após uma atividade que costumava ser fácil – por exemplo, subindo as escadas – talvez seja hora de conversar com seu médico sobre a possibilidade de doença cardíaca. 

As doenças cardíacas são a principal causa de morte nas mulheres.

Se o seu cansaço estiver relacionado ao seu coração, os procedimentos de medicação ou tratamento geralmente podem ajudar a corrigir o problema, reduzir o cansaço e restaurar sua energia.

Infecções

As infecções bacterianas podem desencadear distúrbios do sono como hipersonia, narcolepsia, fadiga crônica ou insônia. 

Isso acontece como resposta automática do cérebro, devido à influência de certos componentes da resposta imune ou inflamatória, afetando a eficiência do sono REM e aumentando a sensação de sono e cansaço.

Alterações da tireoide

O problema pode ser uma tireoide lenta ou pouco ativa. Isso é conhecido como hipotireoidismo. 

A tireoide é uma pequena glândula em forma de borboleta que fica na base do pescoço. Ajuda a definir a taxa de metabolismo, que é a taxa na qual o corpo usa energia.

A causa mais comum é um distúrbio autoimune conhecido como tireoidite de Hashimoto.

Essa condição impede a glândula de produzir hormônios da tireoide suficiente para o corpo funcionar da maneira que deveria. O resultado é hipotireoidismo ou metabolismo lento.

Os exames de sangue conhecidos como T3 e T4 detectam hormônios da tireoide.

Se esses hormônios forem baixos, os hormônios sintéticos (medicamentos) podem acelerar o processo e você deve começar a se sentir melhor rapidamente.

Sinais de que você alcançou o limite do cansaço

sono excessivo sinais de que voce alcancou limite do cansaco

Dor de cabeça

Um dos principais sintomas de quem sofre com o sono excessivo é a dor de cabeça, mas isso também pode acontecer se o sono noturno é interrompido.

Alguns pesquisadores acreditam que isso se deve ao efeito do sono em excesso em certos neurotransmissores no cérebro, incluindo a serotonina.

Dores pelo corpo

As dores no corpo podem ser desencadeadas pela constante sensação de sono, cansaço e fadiga. 

Algumas pessoas experimentam momentos de catalepsia e fraqueza, depois de atividades que estimulam a respiração ou depois de crises de riso, por exemplo.

Falta de concentração

sono excessivo e falta de concentracao

É mais difícil se concentrar e prestar atenção, para que você fique mais facilmente confuso. Isso prejudica sua capacidade de executar tarefas que exigem raciocínio lógico ou pensamento complexo.

A sonolência também prejudica o julgamento. Tomar decisões é mais difícil, porque você não está completamente apto a avaliar as situações com clareza.

Distúrbios do sono

Sentir muito sono durante o dia todo não significa exatamente que você dormirá bem a noite. 

Pequenos cochilos durante o dia poderá afetar a sua relação com o sono noturno, bloqueando o sono REM e fazendo com que o seu corpo não descanse corretamente.

Irritabilidade

A falta de sono pode alterar seu humor significativamente. Causa irritabilidade e raiva e pode diminuir sua capacidade de lidar com o estresse.

A privação do sono noturno ou diurno também pode afetar a capacidade das pessoas de praticar atividades básicas, como exercícios físicos ou atividades detalhadas.

Também pode afetar na libido ou na capacidade de manter uma relação sexual saudável.

O que fazer para acabar com o sono excessivo e cansaço?

É comum as pessoas ficarem cansadas ou com sono excessivo em nosso mundo moderno em ritmo acelerado. 

Muitas vezes, você pode estar correndo de uma atividade para a seguinte, sem fazer uma pausa para levar o tempo necessário para fundamentar, equilibrar e acalmar sua mente.

Nem sempre é fácil identificar o motivo exato pelo qual você está se sentindo com muito sono durante o dia. 

Se você se sentir cansado persistentemente ou por razões que não são aparentes, marque uma consulta com seu médico.

Pode ser o sinal de uma condição subjacente, especialmente se estiver interferindo na sua vida diária.

Os sinais de que o cansaço pode ser algo mais sério incluem dor inexplicável, febre e dores de cabeça.

Dicas para evitar a sonolência diurna e o cansaço

sono excessivo dicas para evitar a sonolencia diurna e cansaco

Existem algumas coisas que podem ajudar você a se sentir menos sonolento durante o dia e melhorar a qualidade do seu sono noturno:

  • Faça uma dieta equilibrada e evite alimentos pesados ou açúcar durante a noite;
  • Pratique exercícios regularmente, de preferência antes das 18h;
  • Beba mais água;
  • Reduza a cafeína;
  • Abandone o álcool;
  • Reduza o estresse noturno;
  • Escureça bem o quarto;
  • Consulte um alergista;
  • Verifique a sua saúde mental;
  • Coma alimentos ricos em ferro;
  • Pare de fumar;
  • Aprenda a relaxar;
  • Faça sonoterapia.

Afinal, dormir muito afeta a saúde?

Embora uma pequena porcentagem de pessoas durma naturalmente mais, para diversos indivíduos que dormem muito, existem certas condições, comportamentos e fatores ambientais que podem aumentar a necessidade de sono ou afetar a qualidade do sono.

Dormir demais regularmente pode aumentar o risco de diabetes, doenças cardíacas, derrame e morte súbita, de acordo com vários estudos feitos ao longo dos anos. 

Dormir muito pode ser definido por um período de tempo superior a nove horas.

Dormir muito pode estar relacionado à apneia obstrutiva do sono?

A causa mais comum para dormir muitas horas seguidas (mais que 9h por noite) é não dormir o suficiente na noite anterior ou cumulativamente durante a semana. 

Isso pode ser reforçado por distúrbios do sono, como apneia do sono, hipersonolência idiopática, bem como depressão.

Quantas horas precisamos dormir?

Embora as necessidades de sono varia ligeiramente de pessoa para pessoa, a maioria dos adultos saudáveis ​​precisam de 7 a 9 horas de sono por noite para funcionar da melhor forma. 

Crianças e adolescentes precisam de ainda mais – cerca de 10 a 12 horas por noite. E apesar da noção de que nossas necessidades de sono diminuem com a idade, a maioria das pessoas mais velhas ainda precisa de pelo menos 7 horas de sono. 

Como os adultos mais velhos costumam ter problemas para dormir tanto tempo à noite, cochilos diurnos podem ajudar a preencher essa lacuna.

Quais são os riscos que podemos correr ao dormir demais?

Além de todos os outros problemas de saúde associados, como obesidade, doenças cardíacas e derrame, um sono mais longo do que o normal também está relacionado a um risco maior de morte em geral.

Para se ter uma ideia, em um estudo de longo prazo conduzido pela Universidade da Califórnia em San Diego (link em inglês), associou o sono a diversas condições de saúde, elevando o risco de morte dos pacientes para quase o dobro.

Algumas condições associadas ao excesso de sono são:

Pode levar ao aumento do peso e diabetes

Usando os mesmos dados do estudo, os pesquisadores também encontraram ligações entre ganho de peso e sono. 

Pessoas com sono curto ou longo demais ganharam mais peso do que as normais ao longo de período de seis anos (1,98 kg e 1,58 kg) e eram mais propensas a experimentar um ganho de peso significativo. 

Pessoas dormindo mais de nove horas tiveram 21% mais probabilidade do que pessoas com sono normal de se tornarem obesas durante o estudo.

Dormir demais pode prejudicar o cérebro

Um estudo recente organizado por pesquisadores da Universidade de Cambridge analisou dados de cerca de 9 mil europeus, durante um período de 11 anos. 

Pessoas que dormiram por mais de oito horas tiveram 46% mais probabilidade de ter um acidente vascular cerebral (AVC) durante o período do estudo, após o ajuste para fatores de comorbidade. 

Pessoas cuja duração do sono aumentou durante o estudo tiveram um risco quatro vezes maior de acidente vascular cerebral do que pessoas que dormem regularmente, sugerindo que um sono mais longo pode ser um sintoma importante ou sinal de alerta de risco de AVC.

Pode ficar mais difícil engravidar

O fator mais significativo que o sono pode afetar em relação à fertilidade é a produção de hormônios. 

Se você não dormir o suficiente, seu corpo produzirá menos de certos hormônios e muito de outros. 

A mesma parte do cérebro responsável pela regulação dos hormônios sono-vigília, como a melatonina e o cortisol, também regula os hormônios reprodutivos, tanto nos homens, como em mulheres. 

A privação do sono sinaliza ao corpo para produzir mais hormônios do estresse, o que é ruim para a saúde geral e pode prejudicar os níveis de estrogênio, testosterona e outros hormônios reprodutivos. 

O mesmo pode acontecer se você dorme mais do que 9 horas por noite. Alterar o seu padrão de sono-vigília pode desregular os hormônios reprodutivos.

Para as mulheres, o resultado é uma irregularidade menstrual que pode dificultar a previsão da ovulação e prolongar o processo de tentar engravidar.

Nos homens, os espermatozóides que não são tão saudáveis ​​não têm tanta probabilidade de fertilizar óvulos e, se o fizerem, pode levar a embriões inviáveis ​​ou complicações.

Dormir demais pode aumentar o risco de depressão

Mesmo sendo um sintoma comum entre pacientes com depressão, pessoas com longos períodos de sono também têm maior probabilidade de apresentar sintomas persistentes de depressão ou ansiedade em comparação com pessoas com sono normal. 

Um recente estudo com gêmeos também descobriu que dormir muito pouco ou muito parecia aumentar a herdabilidade genética dos sintomas depressivos em comparação com pessoas com sono normal.

Além disso, pesquisas relatam uma piora no quadro de saúde mental de pacientes que dormem mais de 10 horas diárias.

Pode causar problemas no coração

O mesmo estudo da Universidade de Cambridge descobriu que as pessoas que dormiam mais de oito horas por noite tinham duas vezes mais chances de ter angina (dor no peito causada pela redução do fluxo sanguíneo) e 10% mais chances de ter doença cardíaca coronária.

Dormir demais pode levar à morte prematura

Uma pesquisa feita com pacientes dos Estados Unidos, médicos de diversas áreas procuraram ver quais tipos de hábitos de fatores de estilo de vida mostraram as relações mais fortes entre sono prolongado e risco aumentado de mortalidade. 

Os pesquisadores constataram que várias coisas podem contribuir para o maior risco de morte, mas com base em sua análise estatística.

Os fatores de maior influência foi sono prolongado, também foi associado a várias outras condições, desde obesidade a esclerose múltipla, asma, depressão e uso de antidepressivos.

Conclusão

O sono excessivo durante o dia pode ser a causa do seu cansaço, falta de concentração, problemas de memória e aprendizagem, e pode representar problemas sérios de saúde.

Dormir demais pode prejudicar o seu quadro de saúde geral, causando problemas como diabetes, doenças cardíacas, obesidade, depressão ou até atrapalhar na tão sonhada gravidez.

Se você tem problemas para dormir ou dorme mais que 9 horas por noite, procure um médico para obter o melhor tratamento e faça mudanças na sua rotina e dieta!

Confira nossos outros artigos:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 + doze =

Rolar para cima