Problemas respiratórios: doenças, causas, sintomas e dicas

Problemas respiratórios são comuns em todas as estações do ano e exigem cuidado, atenção e, sobretudo, investimento em prevenção.

Diversos tipos de problemas respiratórios podem se manifestar ao longo da nossa vida. Mas quais são os mais comuns?

Os problemas respiratórios graves, comuns, crônicos e doenças respiratórias crônicas possuem diversos graus de intensidade e podem piorar se não dermos a eles a atenção devida e o cuidado devido.

É essencial conhecer os mais diversos tipos de problemas respiratórios para saber a hora de procurar a devida ajuda médica sempre que for necessário.

Fique de olho em todos eles e monitore a sua saúde!

O que são os problemas respiratórios?

Os problemas respiratórios são condições que atingem todo o nosso sistema respiratório, inflamando, causando irritações e infecções nessa região do nosso corpo.

Eles podem atingir pessoas das mais diversas faixas etárias e comprometem a qualidade de vida de quem sofre com essas condições.

As doenças respiratórias são condições médicas que afetam os pulmões e a capacidade de respiração. Algumas dessas doenças são genéticas, enquanto outras são causadas pelo estilo de vida ou fatores ambientais. As mais comuns incluem asma, bronquite, enfisema, tuberculose e sinusite.

Existem diferentes tipos de condições e doenças respiratórias, desde aquelas que são mais fáceis de tratar até as mais difíceis, consideradas crônicas.

Os problemas respiratórios são uma das maiores causas de morte no mundo e, por conta disso, é essencial tomar os devidos cuidados com nosso sistema respiratório.

Conhecer os problemas respiratórios é o primeiro passo para preveni-los e a informação é sempre o melhor remédio para nossa saúde!

Quais são os principais problemas respiratórios?

Os problemas respiratórios são comuns e a melhor forma de preveni-los é reconhecê-los. Confira agora quais são os problemas respiratórios, condições médicas mais comuns e entenda como identificá-los e omo evitá-los:

Asma

problemas respiratorios asma

A asma é uma doença que não tem, ainda, cura, mas cujo tratamento é simples e já é garantido pelo SUS, de forma completamente gratuita.

Mais comum em crianças, é necessário observar atentamente seus sintomas e tomar os devidos cuidados no dia a dia para que seja possível viver com qualidade e distante das crises.

Sintomas da asma

Um dos principais sintomas da asma é a dificuldade para respirar, além de um contínuo chiado a cada vez que a criança segue com seu fluxo respiratório.

Conforme se agrava, a sensação de pressão sob o peito e tosse costumam se acentuar. Os sintomas da asma tendem a se apresentar de forma mais intensa sobretudo à noite e pela manhã.

Causas da asma

As causas da asma podem ser ambientais e genéticas. Algumas crianças podem nascer com condições físicas que favorecem a asma, como uma tendência natural a apresentar os sintomas, que podem ser graves.

Já os fatores ambientais podem variar entre mudança de temperatura brusca, umidade, tempo seco, afecções do sistema respiratório, de forma congênita.

Complicações da asma

A asma é um dos problemas respiratórios que pode desencadear alterações significativas da qualidade de vida da criança, tais como dificuldade para respirar, a necessidade de internamentos recorrentes e, em alguns casos mais graves, até mesmo a morte.

Quais são os tipos de asma?

A asma é um dos problemas respiratórios que pode se manifestar de duas formas, a alérgica e a não alérgica.

Enquanto a asma alérgica é desencadeada por condições ambientais, a asma não alérgica é desencadeada pelos chamados gatilhos.

Entre os principais gatilhos para a asma podemos encontrar:

  • estresse;
  • secura do ar
  • baixas temperaturas.

Bronquite

problemas respiratorios bronquite

A bronquite é um problema respiratório causado pela inflamação dos brônquios, que são as vias aéreas que conduzem o ar até os pulmões.

Com essa inflamação, as vias aéreas ficam mais estreitas, o que acabam por fazer com que a respiração se torne muito difícil.

Sintomas da bronquite

Os principais sintomas da bronquite são a falta de ar, a tosse persistente e o excesso de secreção pulmonar.

A bronquite pode ser facilmente confundida com a asma, mas um dos fatores que podem contribuir com um diagnóstico mais preciso é o fato de que a bronquite, diferente da asma, geralmente surge juntamente com uma gripe mais severa.

Tanto as crianças quanto os idosos estão mais suscetíveis a desenvolver a bronquite.

Causas da bronquite

A bronquite é causada, geralmente, pela evolução de uma gripe ou de um resfriado e deve, por conta disso, receber um tratamento adequado.

Como a gripe pode desencadear a queda da imunidade, graças ao ataque viral que proporciona, os brônquios podem facilmente inflamar nesse processo.

Quais são os tipos de bronquite?

Podemos observar a existência de dois quadros de bronquite, o crônico e o agudo.

A bronquite crônica é um processo permanente, geralmente relacionado a uma condição ambiental, como tabagismo e excesso de poluição.

Já a bronquite aguda está relacionada a um processo desencadeado pela ação viral, como decorrente de uma gripe severa ou resfriado.

Complicações da bronquite

Entre as pessoas com doenças cardíacas ou outras complicações de saúde, como câncer, diabetes e asma, a bronquite pode até mesmo ser fatal, desencadeando uma dificuldade súbita para respirar e causando, até mesmo, uma parada respiratória.

Sinusite

problemas respiratorios sinusite

A sinusite é uma inflamação das cavidades ósseas presentes nos seios da face.

É uma dor intensa caracterizada também por grande ardência que atinge a região dos olhos, das maçãs do rosto e ao redor do nariz.

A sinusite pode ser uma causa primária ou secundária de uma inflamação e aparecer associada à gripe ou a uma alergia, que acabe por fazer com que se torne mais difícil o esvaziamento das cavidades da face.

Quais são os tipos de sinusite?

A sinusite pode se apresentar de duas formas, a aguda e a crônica.

O que difere entre as duas é o tempo de duração da condição de saúde.

Enquanto uma crise aguda de sinusite pode perdurar por até 12 semanas, a sinusite crônica pode durar mais de 12 semanas e são mais intensos.

Quais são as causas da sinusite?

As causas da sinusite podem ser tanto alérgicas quanto infecciosas.

Enquanto a sinusite infecciosa é causada por agentes externos, como fungos, vírus ou bactérias, a sinusite alérgica é causada por fatores como poeira, agentes infectantes, químicos e até mesmo por variações de temperatura.

Sintomas da sinusite

Os principais sintomas da sinusite são a dor intensa na face, a sensação de pressão nas narinas e nos olhos e também a obstrução da respiração por acúmulo de muco.

Também são sintomas comuns da sinusite a perda do olfato, dor de ouvido, dor de garganta, dor no maxilar e até mesmo nos dentes, bem como a presença de tosse intensa.

Rinite

problemas respiratorios rinite

A rinite é causada por uma inflamação na parte interna do nariz.

Ela pode se apresentar com coceira, irritação, dificuldade para respirar e até mesmo com o aumento da secreção nasal.

Quais são os tipos de rinite?

A rinite pode ser tanto alérgica, quanto não alérgica e até mesmo mista, combinando os dois tipos anteriores.

Além disso, pode ser também aguda e crônica.

A rinite alérgica é causada pelo contato com agentes alergênicos, como ácaros, poeira, fungos, pólen e até mesmo por cheiros mais intensos.

Já a rinite não alérgica não é causada por fatores externos, mas em decorrência de processos infecciosos e inflamatórios já existentes.

Por fim, a rinite mista acontece quando um ou mais agentes infecciosos – vírus, bactérias, fungos, poeira, cheiros fortes – agem juntos, criando um caso de rinite.

A rinite pode ser tanto crônica quanto aguda.

Enquanto a rinite crônica dura por meses, a rinite aguda dura, no máximo, por dez dias.

Causas da rinite

A rinite pode ter diversas manifestações e razões.

Ela pode ser causada pelo contato com poeira, vírus, bactérias, ácaros, fumaça, pelo de animais e até mesmo por cheiros, como de plantas e perfume.

Produtos químicos, mesmo aqueles limpantes, também podem desencadear a rinite.

Sintomas da rinite

Os principais sintomas da rinite são coceira e ardor no nariz e nos olhos, espirros frequentes, lacrimejamento dos olhos, coriza nasal e até mesmo sensações como irritação e apreensão.

A rinite também pode intensificar sintomas de gripe e pode também estar associada com bronquite, asma e sinusite.

Pneumonia

problemas respiratorios pneumonia

A pneumonia é uma infecção grave, que atinge os pulmões, e atingir também alvéolos do pulmão e causada por um agente infeccioso, como vírus, bactérias, alergias e fungos.

É importante frisar que, embora grave, a pneumonia não é nem contagiosa e tampouco transmissível.

Quais são os tipos de pneumonia?

A pneumonia pode se manifestar de diversas formas, a viral, a bacteriana, química e por fungos.

Cada uma possui causas específicas e pode atingir públicos específicos.

Por conta disso, é vital ficar, sempre, de olho em nossa condição geral de saúde.

Sintomas da pneumonia

Entre os principais sintomas da pneumonia podemos observar a dor intensa no peito, a tosse excessiva, febre intensa e dificuldade para respirar.

Associada à pneumonia, também podemos observar a aceleração do ritmo cardíaco.

Causas da pneumonia

Quando causada por vírus, esse tipo de pneumonia é resultante da aspiração do agente viral, que provoca, por sua vez, um processo inflamatório nos alvéolos pulmonares, fazendo com que o sangue receba menor quantidade de oxigênio do que a necessária.

Já a pneumonia bacteriana é causada pela forma oportunista que esses agentes infecciosos se proliferam, aproveitando-se da baixa imunidade da pessoa atingida.

A pneumonia química é causada pela inalação de substâncias químicas,q ue irritam os alvéolos pulmonares. Fumaça, produtos de limpeza e agrotóxicos podem causar esse tipo de pneumonia.

Por fim, a pneumonia causada por fungos é o tipo mais agressivo. É mais comum entre pacientes imunodeprimidos, com câncer, HIV ou outras comorbidades.

Tuberculose

problemas respiratorios tuberculose doenca respiratoria

A tuberculose é uma doença infecciosa e muito contagiosa.

Ainda que seja mais comum nos pulmões, é também possível encontrar casos em que a tuberculose atinge a pele, os rins, gânglios e ossos.

É possível se contaminar com a tuberculose através do ar, tosse, contato com doentes, espirro e até mesmo no ambiente em que há a contaminação pelos bacilos.

Como os bacilos podem ficar grande tempo em suspensão no ar, é possível também ser infectado somente por estar presente em um local em que a pessoa com tuberculose realiza seu tratamento.

Sintomas da tuberculose

Os principais sintomas da tuberculose são a tosse, a febre constante, embora baixa, presença de sangue junto com o catarro e ainda suor excessivo à noite.

Quanto a tosse persiste por mais de duas semanas é essencial buscar auxílio médico através do Sistema Único de Saúde.

Como é feito o diagnóstico da tuberculose?

Através da baciloscopia é possível averiguar a presença do bacilo causador da tuberculose.

Exames complementares como raio-x e cultura da mucosa do nariz podem ser requisitados para um melhor diagnóstico.

Grupos de risco da tuberculose

Entre os grupos mais suscetíveis à tuberculose encontramos aqueles imunodeprimidos, a população carcerária e aqueles que também apresentam baixa resistência a infecções.

Pessoas com HIV, fumantes, dependentes químicos e em tratamento de câncer estão entre os mais vulneráveis.

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

problemas respiratorios doenca pulmonar obstrutiva dpoc

Entre os problemas respiratórios mais agressivos está a doença pulmonar obstrutiva crônica.

Uma vez que se manifesta, ela apresenta caráter progressivo e é, também, irreversível.

Essa doença compromete de forma grave os alvéolos pulmonares e, por fim, acaba por comprometer totalmente os pulmões.

A doença pulmonar obstrutiva crônica é um dos problemas respiratórios mais comuns entre aquelas pessoas que já tiveram tuberculose.

Sintomas da DPOC

Entre os sintomas mais comuns da doença pulmonar obstrutiva crônica podemos observar a tosse seca e intensa, bem como falta de ar e infecções respiratórias frequentes.

Por fim, também podemos observar que há maior fadiga ou dificuldade de praticar atividades físicas intensas.

Depressão, quadro de ansiedade e fraqueza muscular também podem surgir com sintomas.

Causas da doença pulmonar obstrutiva crônica

Uma das causas mais comuns da DPOC são as doenças pulmonares anteriores, como tuberculose, asma, pneumonia e bronquite recorrentes.

Outros fatores relacionados estão o tabagismo, poluição e demais complicações respiratórias.

Enfisema pulmonar

problemas respiratorios enfisema pulmonar doenca respiratoria

O enfisema pulmonar é uma doença degenerativa, que acaba por destruir de forma gradativa os tecidos pulmonares.

Com o avanço da doença, ela acaba por deixar os pulmões distendidos, tornando difícil a respiração.

Quais são os tipos de enfisema pulmonar?

Os tipos de enfisema pulmonar mais comuns são o centroacinar, paraseptal e panacinar.

O panacinar é aquele que causa a difusão entre os dutos alveolares e os alvéolos; o paraseptal causa bolhas na pleura e, por fim, o centrilobular é causado pelo tabagismo.

Alergias

problemas respiratorios causas alergias

As alergias respiratórias são causadas pelo contato com substâncias alergênicas.

Essas substâncias podem provocar reações de diferentes tipos, como afecções de pele, respiratórias e até mesmo digestivas.

Quanto mais temos contato com agentes alergênicos, mais alergias podemos desenvolver.

Quais são as principais causas das doenças e problemas respiratórios?

Conheça agora quais são as principais causas dos problemas respiratórios mais comuns e cuide mais da sua saúde e da sua qualidade de vida!

Cigarro e tabagismo

O cigarro apresenta mais de 4 mil substâncias nocivas à nossa saúde e é um dos hábitos que mais podem desencadear problemas respiratórios.

Entre essas substâncias podemos observar monóxido de carbono, arsênio, cádmio, cianeto de hidrogênio, níquel e até mesmo acetona.

Genética

As doenças respiratórias podem também ter um fundo genético.

Portanto, se seus pais têm ou tiveram alguma doença respiratória, é necessário redobrar seus cuidados, evitando agentes nocivos, como o cigarro, por exemplo.

Infecções virais

Os vírus também são uma das maiores causas de doenças respiratórias e podem causar infecções pulmonares e nas vias respiratórias.

Entre as infecções virais mais comuns temos a gripe e a rinite, e entre as mais graves temos a pneumonia e a Covid-19.

Medicamentos

problemas respiratorios medicamentos

Alguns medicamentos podem desencadear processos alérgicos e, com isso, causar também problemas respiratórios.

As alergias causadas pelos medicamentos podem derrubar nosso sistema imunológico, nos tornando também mais suscetíveis à infecções respiratórias.

Outras doenças

Algumas doenças como câncer e HIV podem comprometer nosso sistema imunológico.

Com isso, podemos ficar mais suscetíveis às doenças respiratórias, tais como gripe, bronquite, pneumonia e rinite.

Poluição do ar

problemas respiratorios causas poluicao do ar

O excesso de poluição pode causar infecções respiratórias, bem como rinites e processos alergênicos.

Os gases poluentes presentes no ar podem também causar uma queda em nossa imunidade, nos tornando mais suscetíveis à vírus, bactérias e alergias.

Ácaros da poeira doméstica podem causar problemas respiratórios

Os ácaros estão presentes em todos os ambientes, sobretudo em acolchoados, colchões, cobertas, travesseiros, bichinhos de pelúcia e até mesmo na poeira.

Eles podem causar reações alérgicas como rinite e piorar condições de saúde, como gripe, asma, bronquite e outros problemas respiratórios.

Fungos

Da mesma forma que os ácaros, os fungos estão presentes em diversos ambientes, como aqueles muito úmidos, armários e pouco ventilados.

Os fungos são responsáveis por provocar crises alérgicas graves, além de outros problemas respiratórios, como bronquite, pneumonia, asma e até mesmo rinite.

Baratas

problemas respiratorios causas baratas

As baratas são insetos que podem desencadear processos alérgicos, como rinite e até mesmo a asma.

Como são comuns em climas tropicais e temperados, é fundamental ficar de olho nas condições de limpeza dos ambientes.

Animais

Os animais domésticos podem também provocar crises alérgicas e até mesmo asma e bronquite.

Embora esse tipo de alergia seja rara, é importante ficar de olho nos mínimos sinais de irritação respiratória quando entramos em contato com eles, sobretudo com o pelo e com a saliva.

O ambiente seco pode ser uma das causas dos problemas respiratórios

O tempo seco pode nos causar grande mal, potencializando alergias causadas por fungos, ácaros e até mesmo pelo pólen.

Sem a devida umidade, nossa respiração pode se tornar mais pesada, permitindo também que bactérias possam se proliferar com o passar do tempo.

Pólen

O pólen é o principal agente de fecundação de plantas e quando em suspensão, podem criar alergias.

Entre as pessoas com maior sensibilidade respiratória, podem causar crises de rinite, asma e até bronquite.

Falta de hidratação

Quando bebemos menos água do que devemos, nosso corpo fica menos hidratado e, consequentemente, mais suscetível a processos alérgicos.

Com menos água no corpo do que é devido, o corpo acaba por ficar mais vulnerável a vírus e bactérias.

Baixa circulação de ar

Ambientes pouco arejados tentem a ter menor circulação de ar e, consequentemente, maior concentração de agentes alergênicos.

Para evitar problemas respiratórios, é essencial sempre manter os ambientes bem arejados, com boa circulação de ar.

Produtos químicos podem influenciar o desenvolvimento de doenças respiratórias

Produtos desinfetantes, produtos químicos e até mesmo produtos de higiene pessoal podem causar crises alérgicas e asma.

É fundamental, sempre, verificar quais são as substâncias que já causaram algum processo alérgico e evitar produtos que tenham elas em comum em suas composições.

Assim, é possível evitar o desencadeamento de novas alergias e crises.

Como evitar as crises de problemas respiratórios?

Com o devido cuidado, é possível evitar doenças respiratórias, cuidando dos hábitos, da alimentação e de higiene.

Mesmo que alguns quadros respiratórios possam ser considerados crônicos, é importante que todos possam seguir com suas vidas normalmente, desde que evitem algumas situações que podem desencadear crises de problemas respiratórios.

Mantenha a carteira de vacinação em dia

Manter em dia o calendário vacinal é essencial para evitar doenças dos mais diferentes tipos.

Entre aquelas pessoas que são de grupo de risco, é ainda mais importante que as vacinas sejam mantidas em dia.

Para fazer a vacinação, é possível contar com clínicas particulares ou do próprio SUS, que tem um calendário de vacinação dos mais completos do mundo, fornecidas gratuitamente para a população.

Não fume

O cigarro é um dos principais responsáveis por doenças respiratórias graves.

Conforme vimos, ele pode ser um dos principais desencadeadores de asma, bronquite, alergias, enfisema e até mesmo câncer.

Embora a pessoa que fume seja a mais vulnerável a esses problemas de saúde, é importante ressaltar que a fumaça do cigarro pode ser tão prejudicial quanto o próprio cigarro para alguns grupos.

Crianças, idosos, pessoas com asma e outras doenças crônicas podem enfrentar uma severa piora do quadro de saúde simplesmente por entrar em contato com a fumaça do tabaco.

Lave bem as mãos

problemas respiratorios dicas lave bem as maos

Uma das principais formas de evitar o contágio por vírus e bactérias é mantermos sempre as mãos limpas, evitando levá-las ao rosto.

Lavar as mãos de forma adequada é uma das formas de evitar esse tipo de contaminação.

Inclusive, em meio à epidemia causada pelo novo Coronavírus, uma das principais formas de evitar o contágio é lavando as mãos de forma adequada sempre que possível, uma vez que uma das maiores formas de contágio.

Tome bastante água

Beber água evita a desidratação do corpo e, por conseguinte, evita também a desidratação das vias aéreas.

Bebendo água, isotônicos, chás e sucos é possível fortalecer o sistema imunológico, além de evitar possíveis contaminações por fungos, ácaros, bactérias e vírus.

Tenha uma boa alimentação

Uma alimentação balanceada pode fazer com que nosso corpo se torne mais resistente e tenhamos a nossa imunidade melhorada.

Comendo de forma adequada, podemos ter maior ingestão de vitaminas, minerais e sais que nos tornam mais fortes contra diversos tipos de infecções respiratórias.

Faça inalação e vaporização

problemas respiratorios dicas faca inalacao vaporizacao

Através da inalação e da vaporização podemos hidratar nosso sistema respiratório, diminuindo a possibilidade de desenvolvermos quadros de alergia.

A adequada nebulização utilizando soro fisiológico permite que pessoas com o sistema respiratório fragilizado desfrutem de uma melhor qualidade de vida.

Faça a respiração da maneira correta e exercite seus pulmões

Quando respiramos de forma adequada utilizamos todos os recursos naturais do nosso corpo para filtrar o ar de forma adequada.

Nosso nariz conta com pequenos cílios, capazes de reter impurezas, reduzindo das nossas vias respiratórias substâncias nocivas presentes no ar.

Durma bem e tenha uma boa noite de sono

Dormindo bem, podemos evitar complicações respiratórias, sobretudo aquelas oportunistas, que acabam por adentrar em nosso sistema respiratório através da nossa boca.

Quando respiramos pelo nariz podemos controlar de forma mais adequada a passagem e filtragem do ar, eliminando dele potenciais alergênicos, como vírus, bactérias e fungos.

Mantenha a umidade do ar

A umidade do ar, quando controlada, evita a proliferação de fungos, bactérias e vírus que acabam por comprometer nossa qualidade de vida.

Evite, portanto, ficar muito tempo com o ar condicionado ligado e utilize sempre que possível umidificadores de ambiente a fim de evitar complicações respiratórias.

Faça um teste de alergia

Conhecer quais são os principais fatores desencadeantes de alergia em nosso corpo é essencial para que possamos cuidar mais e melhor da nossa saúde.

Quando fazemos o teste de alergia somos expostos a diversas substâncias alergênicas.

Com isso, conseguimos identificar, de maneira controlada, quais são os principais fatores desencadeantes de alergia.

Tome a vacina da gripe

Tomar a vacina da gripe é uma das formas essenciais de cuidar da nossa saúde.

A vacina da gripe é elaborada com as cepas mais comuns de vírus em circulação no ano anterior.

Imunizando-nos do vírus causador da gripe, conseguimos eliminar também doenças que se aproveitam desse tipo de infecção viral e demais complicações oportunistas.

Lave o nariz

problemas respiratorios dicas lave o nariz

Tal como qualquer outra parte do nosso corpo, o nosso nariz precisa ser lavado.

Lavando o nariz, retiramos dele bactérias, fungos e até mesmo vírus que podem causar complicações de saúde.

Esse é um hábito que deve ser adquirido ainda na infância e deve perdurar durante toda a vida.

A lavagem pode ser feita com chaleira nasal ou mesmo com outros equipamentos vendidos em farmácias apropriados para a lavagem nasal, através de jato contínuo.

Escove com frequência os pelos dos animais

Escovando sempre os pelos dos animais é possível diminuir consideravelmente as alergias respiratórias causadas por células mortas, ácaros e bactérias ali presentes.

Além, disso, também contribui com a melhora da limpeza da casa, diminuindo o acúmulo de pó.

Como é feito o diagnóstico das doenças respiratórias?

Para identificarmos problemas respiratórios graves, problemas respiratórios comuns e problemas respiratórios crônicos, é essencial contarmos com um médico de nossa confiança.

A especialidade de médicos que cuidam do nosso sistema respiratório é, geralmente, a de infectologistas, mas pneumologistas e generalistas também são capacitados para oferecer tratamento adequado para quem sofre com problemas respiratórios.

Independente da especialidade, o médico pode solicitar diversos tipos de exames para traçar corretamente o diagnóstico, que devem ser feitos em laboratórios de sua confiança.

Quando se trata de problemas respiratórios, é muito importante contar com, além do apoio médico, rigor na hora de utilizar a medicação recomendada pelo profissional.

Dessa forma, é possível ter um melhor acompanhamento do quadro de saúde e, assim, ter melhores efeitos para a saúde geral.

Quais são os melhores tratamentos para as doenças e os problemas respiratórias?

Quando se trata de problemas respiratórios e seus tratamentos, o melhor tratamento é aquele que o médico de sua confiança receitar e recomendar.

Seja através de um tratamento pontual ou através de um tratamento mais prolongado, é essencial segui-lo estritamente para não perder os benefícios conquistados através do tempo.

Além dos cuidados que devemos ter com nosso sistema respiratório, devemos, também, ficar bem longe da automedicação.

Essa é uma das maiores causas para que vírus e bactérias se tornem mais resistentes, podendo até piorar a nossa condição de saúde através do tempo.

Outra forma de tratar doenças respiratórias é utilizando insumos que nos permitam respirar melhor.

O CPAP, por exemplo, é um equipamento essencial para que possamos normalizar nosso fluxo respiratório durante nosso sono.

Com ele, tratamos a respiração inadequada – pela boca – e passamos a respirar através do nariz, o que contribui para a filtragem do ar e para uma respiração mais fluida e de qualidade.

Dicas para fugir dos problemas respiratórios no inverno

O inverno costuma ser uma estação bastante seca, o favorece a presença de fungos, bactérias e vírus em suspensão no ar.

Como, por causa do frio, temos por hábito deixar a casa mais fechada, também temos maior concentração de ácaros, graças à falta de circulação do ar.

Com isso, as alergias e problemas respiratórios tendem a aparecer com ainda mais intensidade.

Para escapar dos problemas respiratórios crônicos, problemas respiratórios comuns e problemas respiratórios graves do inverno, mantenha a casa arejada, umidificada e, sobretudo, limpa.

O que fazer para minimizar os problemas respiratórios durante o sono?

problemas respiratorios o que fazer para minimizar durante sono

Durante o sono, a melhor forma de evitar o surgimento ou agravamento de problemas respiratórios é com a utilização de um equipamento CPAP.

O aparelho CPAP nos ajuda a respirar melhor à medida em que normaliza a nossa respiração durante o sono.

Normalmente, as pessoas que respiram pela boca acabam manifestando maiores problemas respiratórios através do tempo.

Unindo a má respiração à secura do ar, é normal que mais alergias sejam desencadeadas.

Por isso, o melhor é investir em equipamentos que possam melhorar a nossa qualidade de sono e, consequentemente, a nossa qualidade de vida.

Conclusão

Os problemas respiratórios são comuns, mas exigem toda a nossa atenção para que possamos restabelecer rapidamente a nossa qualidade de vida, sempre que eles surgirem.

Sempre que você sentir que está respirando mal, saiba: é hora de buscar ajuda médica, sobretudo se os sintomas respiratórios se estenderem por alguns dias.

Se isso acontecer, não hesite: é hora de buscar ajuda adequada para garantir que nenhuma complicação surja e para que você logo restabeleça sua qualidade de vida!

Quer respirar melhor? Seja durante o dia, seja durante à noite, a Mobiloc conta com uma equipe super qualificada para que você possa encontrar rapidamente os melhores equipamentos médicos para sua vida ser cada vez melhor!

Confira nossos outros artigos:

2 comentários em “Problemas respiratórios: doenças, causas, sintomas e dicas”

  1. Alexandre Malafaia

    Olá Mamadu! Que informação bacana você compartilhou. Agradecemos por acompanhar o nosso blog!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × 4 =

Rolar para cima