CENTRAL DE ATENDIMENTO: (11)3090-4336 | [email protected]

Carrinho (0) Fechar

Nenhum produto no carrinho.

Casa Produtos Máscara N95: o que é, como usar e vantagens [Guia 2020]

Máscara N95: o que é, como usar e vantagens [Guia 2020]

mascara n95 o que como usar vantagens

A máscara N95 é um equipamento de proteção individual que funciona como uma barreira contra contaminações de vias aéreas

A máscara N95 é um acessório muito utilizado por equipes de saúde, por trabalhadores rurais ou trabalhadores industriais expostos a produtos químicos, poeira ou fumaça.

Conheça tudo sobre a máscara N95, seu nível de proteção e suas principais funções antes de comprar a sua!

O que é a máscara N95?

A máscara N95 é um modelo de respirador de utilização hospitalar que filtra elementos contaminantes em forma de aerossóis, segundo a classificação americana.

Sua eficácia de filtragem é de 95% de todos os vírus e bactérias que possam ser despejados no ar em forma de gotículas.

Atualmente, a N95 é um equipamento de uso hospitalar devido à sua escassez no mercado, dada a pandemia causada pelo novo Coronavírus.

No entanto, já foi muito utilizada em áreas destinadas ao trabalho agrícola ou industrial, filtrando elementos tóxicos para a respiração, como químicos, poeira ou fumaça.

A principal característica da máscara N95 é a capacidade de filtrar qualquer partícula, seja ela um vírus, bactéria ou mesmo pesticidas, fumaça ou poeira.

Quanto custa a máscara N95?

Esse equipamento de segurança tem, geralmente, um valor bastante acessível se considerado o nível de proteção que ela oferece.

É fácil de encontrá-la em lojas que comercializem produtos médico-hospitalares e também em comércios destinados à produção do trabalhador agrícola.

Na Mobiloc, oferecemos um kit com 10 máscaras, confira!

Qual o tempo de uso da máscara N95?

A forma de utilização da máscara N95 é diferente daquela recomendada para máscaras cirúrgicas, que devem ser descartadas e substituídas logo que após duas horas de uso.

A máscara N95 pode ser utilizada de forma prolongada, pois isso minimiza o manuseio do equipamento e, assim, minimiza também o risco de contrair doenças respiratórias.

No entanto, é necessário que a máscara sempre permaneça adequadamente ajustada ao rosto para que mantenha suas funções.

Se ela ficar folgada, sua eficácia se anula e, assim, acaba por se tornar um equipamento mais perigoso do que de proteção.

É também necessário informar que a utilização das máscaras não libera o profissional da constante higienização das mãos e da atenção em relação aos cuidados básicos em relação à atenção ao toque no rosto, que deve ser sempre evitado.

O toque na parte externa de qualquer máscara sempre que possível deve ser evitado e requer, portanto, bastante cuidado por parte do profissional que a utiliza.

De forma ainda muito semelhante à utilização de outras máscaras de proteção respiratória, a N95 exige cuidados básicos em sua utilização.

Em relação ao descarte:

  • Descarte a máscara após procedimentos que gerem aerossóis contaminantes;
  • Faça o descarte caso a máscara seja contaminada por fluídos corporais;
  • Se a utilização estiver relacionada ao ambiente médico-hospitalar, descarte a máscara caso saia das áreas destinadas ao tratamento de doenças infecto-contagiosas.

Atenção: caso precise manusear a máscara N95 e qualquer outra, de qualquer outro modelo, lave suas mãos antes de tocá-la e imediatamente depois de tocá-la, evitando, ao máximo, encostar em outras partes do corpo ou objetos.

Essa atitude é muito positiva e evita que elementos contaminantes dispostos na parte externa da máscara alcancem objetos ou outras áreas do seu corpo.

Como usar máscara de proteção respiratória?mascara n95 como usar

Para que a máscara N95 seja utilizada corretamente é preciso colocá-la e ajustá-la com as mãos muito limpas, antes de entrar no ambiente de trabalho e só pode ser retirada após sair do ambiente de trabalho.

É necessário higienizar corretamente as mãos a cada vez que a máscara for manuseada para que ela não seja contaminada e é igualmente necessário higienizar as mãos após manuseá-la para que não contamine outras superfícies.

Como a máscara N95 é descartável, deve ser usada apenas por um turno de trabalho, evitando ao máximo o manuseio nesse período.

Se o usuário tiver barba ou cicatrizes profundas, deve prestar atenção especial aos cuidados e adaptações da máscara à face, visto que ela deve estar em contato com a pele o tempo todo para que seu uso seja verdadeiramente eficiente.

Qual a diferença entre a máscara PFF1, PFF2 e PFF3?

As máscaras que recebem a sigla PFF – Peças Faciais Filtrantes – estão submetidas à norma europeia de produção e proteção.

São classificadas em PFF1, PFF2 e PFF3 segundo seu grau de proteção e filtragem de micropartículas.

A máscara PFF1 é a que tem menor poder de filtragem e contenção entre todas as PFFs.

Seu grau de filtragem é de, no mínimo, 80% dos aerossóis, gases resultantes de químicos, fumaça e pó.

Em relação ao seu percentual de fuga, ele atinge, no máximo, 22%.

Já a máscara PFF2 tem um grau mínimo de contenção de 94%, enquanto seu grau máximo de fuga pode atingir 8%.

A PFF2 ou N95, que recebe este nome por conta da classificação americana, em termos de contenção.

É a máscara que geralmente os profissionais da saúde utilizam para se proteger e cuidar das pessoas acometidas por doenças infecto-contagiosas, como Tuberculose, SARS, MERS e COVID-19.

Por fim, entre todas as PFFs, a PFF3 é aquela que mais proteção oferece para o profissional que a utiliza.

Seu grau de filtragem é de 99%, tendo apenas como fuga máxima a taxa de 2%.

É, assim, a máscara de proteção respiratória mais eficiente a qual podemos ter acesso.

Confira também nosso guia completo sobre os tipos de proteção respiratória!

Optar pela máscara cirúrgica ou pela N95?

A máscara cirúrgica e a máscara N95 têm atribuições diferentes.

Em ambientes hospitalares, a fim de proteger a própria pessoa acometida por doenças infecto-contagiosas e seus acompanhantes, a máscara cirúrgica se faz necessária.

Ela é resistente a gotículas, mas não deve ser utilizada pela população em geral, sobretudo se a intenção for de se proteger contra o novo Coronavírus.

Qual é mais eficiente?

A resposta é delicada e depende, unicamente, do uso a que será à máscara atribuído.

Em ambientes médico-hospitalares é essencial que se utilize a máscara N95 sempre que o profissional ou equipe envolvida deve realizar um procedimento de intubação ou extubação, ou qualquer outro que crie aerossóis.

Já em outros ambientes, a máscara cirúrgica deve ser evitada, deixando seu uso restrito para ambientes de saúde.

Portanto, para trabalhar com poeira, fumaça ou gases resultantes de produtos químicos é necessário sempre adequar a máscara à capacidade de retenção adequada ao trabalho a ser executado.

Orientações para uso das máscaras N95

Segundo determinação da ANVISA, a máscara N95, atualmente, tem seu uso restrito ao ambiente médico-hospitalar dada a carência do insumo no mercado e a necessidade de proteger os profissionais envolvidos no tratamento de pacientes com COVID-19.

A instrução essencial para a utilização da máscara N95 é a mesma para a utilização de qualquer tipo de máscara, seja ela de proteção respiratória, seja ela cirúrgica.

Para usar a máscara, antes de tudo, é essencial que as mãos sejam devidamente higienizadas, seja com sabonete líquido ou com álcool em gel 70% e que a pessoa que vá utilizá-la já esteja em seu local de trabalho.

Conte com a Mobiloc e adquira já seu álcool em gel 70% 440g!

Com as mãos devidamente limpas, deve-se abrir o pacote protetor da máscara N95 e colocá-la sobre o pacote.

Coloque a máscara e adeque as tiras de ajuste ao formato do seu rosto e ao formato da sua cabeça.

Uma vez que a máscara esteja perfeitamente ajustada ao seu rosto, lave novamente as mãos e evite, em qualquer circunstância, colocar as mãos novamente em seu rosto.

Ao fim do período em que a utilização for feita, se você for um profissional da saúde, descarte a sua máscara N95 adequadamente, em lixo que seja apropriado para insumos intoxicados por vírus ou bactérias.

Caso você seja um profissional de outra área que necessita utilizar máscaras de proteção respiratória e que não esteja exposto a risco biológico, seja a N95 ou qualquer outra, você pode reutilizar a sua máscara.

Quando adotar o uso prolongado e a reutilização?

A reutilização de máscara N95 deve ser uma decisão tomada exclusivamente por parte dos profissionais que fazem o gerenciamento da instituição e seguindo os pareceres técnicos de órgãos de vigilância sanitária e de saúde.

Quando a opção pela reutilização de máscaras de proteção respiratória for acordada como ideal e aceito pelos devidos órgãos, é ideal que seja imposto um limite de reutilizações.

Essa necessidade se dá, sobretudo, porque nós colocamos a mão no rosto diversas vezes por hora, sem que sequer saibamos.

Isso faz com que nós acabemos por contaminar a máscara de proteção respiratória e outras superfícies.

No entanto, o uso prolongado é não só estimulado como recomendado por parte das autoridades em saúde, sobretudo pelo risco de contaminação diminuído.

O risco de contaminação é reduzido conforme o tempo de uso aumenta, porque exige do profissional que utiliza a máscara N95 menor manuseio do equipamento de proteção.

Quais são os riscos do uso prolongado e da reutilização?

A cada hora tocamos nosso rosto pelo menos 25 vezes. Esse número pode aumentar se estivermos com os cabelos soltos, com óculos ou com máscara.

Uma equipe médica submetida ao uso prolongado de uma máscara de proteção respiratória pode enfrentar ainda mais desconforto à medida que o tempo passa.

Assim, conforme o tempo aumenta, também aumenta o risco de contaminação por tocarmos a parte externa da máscara e tocarmos, depois, outras superfícies.

Outros fatores de risco também estão relacionados à reutilização excessiva, que pode prejudicar os níveis de proteção.

As melhores formas de prevenção contra o COVID-19

mascara n95 melhores formas de prevencao contra virus

Logo que a COVID-19 foi anunciada pela OMS como uma pandemia, as autoridades do mundo todo lançaram comunicados parametrizando as formas de prevenção da doença.

Uma das principais formas de contágio da COVID-19 se dá por meio do contato com superfícies contaminadas pelo novo Coronavírus, com subsequente toque ao rosto.

Com isso, a contaminação é decorrente da disseminação do vírus em nosso corpo.

Como o nosso corpo, logo que identifica um novo micro-organismo, dispara seu mecanismo de defesa – o nosso sistema imunológico -, nos primeiros dias não sentimos qualquer reação causada pela contaminação.

No entanto, à medida que o vírus se multiplica – aumentando a chamada carga viral – e o nosso corpo deixa de conseguir combatê-lo, visto que ele acaba se multiplicando mais rápido do que as nossas células de defesa, começamos a sentir os primeiros sintomas.

Esse tempo, contudo, que gira em torno de seis a oito dias em pessoas consideradas saudáveis, se é mais reduzido em pessoas que já têm outras comorbidades, como diabetes e hipertensão.

É isso que chamamos, portanto, de fatores de risco.

Como as pessoas que portam essas doenças, bem como aquelas que já são imunodeprimidas, tem um sistema imunológico mais lento, o corpo responde menos ao ataque viral.

E, com isso, a pessoa atinge um quadro de maior gravidade e mais rapidamente, podendo chegar ao óbito em poucos dias.

Diante disso, a melhor forma de prevenir a contaminação pelo novo Coronavírus e eventual desenvolvimento de Covid-19, é evitar, sempre que possível, se expor à contaminação.

Assim, evite aglomerações, sobretudo se você for de grupo de risco, e higienize suas mãos constantemente, evitando sempre que possível colocar a mão no rosto.

Higienize também todas as compras que chegam de ambiente externo, evitando contaminar áreas internas da sua casa.

Conclusão

Conforme vimos, a máscara N95 é um equipamento de segurança que protege profissionais da contaminação por gases, vírus, bactérias, fumaça e pó.

Esse equipamento de proteção respiratória é útil, portanto, para profissionais da saúde, expostos à doenças infecto-contagiosas, bem como a outros profissionais que têm de lidar com outros insumos intoxicantes.

Utilizar o equipamento de segurança adequado leva mais proteção ao profissional.

No entanto, a utilização deve seguir estritamente as recomendações de segurança, sobretudo porque o mau uso pode também expor a saúde do profissional.

Se você tem dúvidas sobre como utilizar ou comprar insumos médicos-hospitalares, a Mobiloc dispõe de um time de consultores sempre prontos para te ajudar.

Entre em contato conosco a partir dos nossos canais de atendimento e garanta mais saúde para a sua atividade profissional!

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 5 =